City Catalist – Catalisador para Cidades Sustentáveis

Designação do projeto | City Catalist – Catalisador para Cidades Sustentáveis

Código do projeto | LISBOA-01-0247-FEDER-046119 | POCI-01-0247-FEDER-046119

Objetivo principal | Reforçar a investigação, o desenvolvimento tecnológico e a inovação

Região de intervenção | NUTS II – Lisboa

Entidades beneficiárias | Efacec Energia, Efacec Engenharia e Sistemas, Efacec Electric Mobility, Altice Labs, Proef Eurico Ferreira Portugal, Inova+, Ubiwhere, HLTSYS – Health Systems, ADYTA, Lda., Jscrambler, NOS Comunicações, Associação Porto Digital (APD), Associação Porto Business School (PBS), CEiiA – Centro de Engenharia e Desenvolvimento, Associação Fraunhofer Portugal, Centro de Computação Gráfica (CCG), Instituto de Telecomunicações (IT), Centro de Competências em Cibersegurança e Privacidade da Universidade do Porto (C3P), INESC TEC – Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência, Associação para o Pólo das Tecnologias de Informação, Comunicação e Eletrónica (TICE.PT) e Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP)

Data de aprovação | 09/06/2020

Data de início | 01/07/2020

Data de conclusão | 30/06/2023

Custo total elegível | 9 848 123,05 €

Apoio financeiro da União Europeia | FEDER – 5 133 023,26 €

Objetivos | A ambição do projeto “City Catalyst – Catalisador para as Cidades Sustentáveis” é a investigação, desenvolvimento e validação, em contexto real, de soluções tecnológicas e serviços inovadores que potenciem uma gestão urbana integrada, mais eficiente e eficaz, e catalisadora da inovação e do desenvolvimento sustentável através de contribuições específicas para a implementação e interoperabilidade das plataformas urbanas. O projeto foi, assim, estruturado em torno de diferentes linhas investigação e desenvolvimento/PPS pioneiras na ótica das Cidades Inteligentes e Sustentáveis relacionadas com as infraestruturas de sensorização, comunicação e processamento computacional (PPS1); segurança e privacidade da informação (PPS2); modelos de dados e interfaces (PPS3); bem como processos de inovação aberta e cocriação para a competitividade das cidades inteligentes e sustentáveis (PPS5). Contempla, ainda, a implementação de um conjunto de demonstradores com o objetivo de validar o funcionamento das soluções a desenvolver em 5 cidades Portuguesas (Porto, Aveiro, Guimarães, Famalicão e Cascais).